está a ler...
Defesa

E se fosse por cá?

Como escreveu Paulo Agostinho no Expresso, a Ucrânia é um “país de camuflado”, tendo a  resistência à invasão criado um exército que junta civis, militares e polícias, numa estratégia que confunde o atacante,epsid com os resultados que estão à vista. Para Carlos Monjardino, a “estratégia assenta na mobilização de todos os recursos do país para garantir a sua existência como unidade política independente, na criação e gestão continuada de uma das mais bem sucedidas campanhas de mobilização política na Europa e nos Estados Unidos, e na manutenção de uma força de combate altamente motivada e eficaz no teatro de operações”.

E se fosse por cá? É que ao contrário daquilo que é pensamento comum dos “comedores de vento, fruto de um conjunto de fatores, nenhum país está livre de ser alvo de uma agressão desta natureza. Claro que pertencemos à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), somos membros da União Europeia, temos o Tratado de Windsor de 1386 e signatários de outros tratados e acordos na área da Defesa. Mas seríamos capazes de aguentar o embate inicial? Para tal são necessários recursos humanos em número suficiente, devidamente treinados e motivados, bem como os meios materiais adequados. 

Relativamente aos recursos humanos, a opinião é unânime, não são suficientes. A carreira militar, sobretudo no que concerne à categoria de Praças (a base da pirâmide) não é atrativa pelo que não se consegue preencher as vagas existentes. Ao que consta o número de Oficiais e Sargentos será superior ao de Praças. Daí que se tenha levantado a questão do regresso do Serviço Militar Obrigatório. Aliás, o Grupo de Trabalho Segurança e Defesa da SEDES, coordenado por António Teixeira Lopes, em 05/11/2021, propôs um Serviço Nacional de Cidadania (SNC) “pensado por forma a desenvolver o espírito de cidadania, garantir uma forte coesão interna e um reforço das capacidades nacionais. O SNC deverá ser centrado em torno do aumento do “sentimento de pertença” nacional, que por estarmos integrados numa União Europeia devemos valorizar, no sentido de preservarmos a nossa identidade cultural, devendo este ser implementado no sistema de ensino nacional e articulado, sempre que possível, com outros países congéneres”.

O tema tem sido bastante referido nos últimos tempos, com os políticos a manifestarem-se contra e os militares a afirmar que a manter-se a atual situação não se consegue fazer face às necessidades que se fazem sentir. Bacelar Begonha, num artigo de opinião publicado no Ionline, escreveu que é tempo de Portugal começar a pensar, seriamente, no restabelecimento do Serviço Militar Obrigatório (SMO) para rapazes e raparigas, de modo a que Portugal tenha de facto possibilidade de organizar a sua defesa, em caso de ser atacado, por qualquer louco, ou melhor, por qualquer lunático, que resolva encarnar qualquer herói da História, e restaurar fronteiras passadas, tirando a paz e a tranquilidade ao Povo Português”.

Relativamente aos meios materiais, a atual ministra da Defesa afirmou numa entrevista dada ao DN em 23/03/2022 na qualidade de diretora do Instituto de Defesa Nacional, que “é vital o processo de modernização das nossas forças armadas, tanto no plano da operacionalidade e dos equipamentos como no plano da valorização das pessoas e da atratividade da profissão militar”, propugnando que  a meta dos 2% do PIB em despesas militares seja cumprida, o que permitiria ultrapassar alguns problemas

Mas voltando a Bacelar Begonha, para que nos servem os “2% do PIB, sem pessoas habilitadas, e motivadas, para participar na defesa da Nação, sabendo operar com armas modernas”? Certamente que não servirão de muito.

Regressando à questão inicial: e se fosse por cá? No atual “estado da arte”, receio que tudo terminaria como em 25 de agosto de 1580 na Batalha de Alcântara

L.M.Cabeço  

Discussão

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

WOOK

%d bloggers like this: