Anúncios
está a ler...
Segurança

Técnicas de interrogatório da CIA – Relatório

De acordo com o art.º 5.º da Declaração Universal dos Direitos do Homem, “ninguém será submetido a tortura nem ciaa penas ou tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes”.

Contudo, na sequência do 11 de setembro levantou-se a questão da utilização da tortura como meio de obtenção de informação necessária para prevenir actos terroristas. Segunda esta linha de pensamento, os suspeitos, depois de classificados com terroristas, deixam de ser tratados como cidadãos titulares de direitos, liberdades e garantias, e passam a ser encarados como inimigos que devem ser combatidos por todos os meios, incluindo aqueles que se consideram ilegais.

Foi assim que para cima de uma centena de cidadãos suspeitos de atividades terroristas foram interrogados pela CIA. Conforme noticia o DN online, foi hoje apresentado um relatório do Senado dos EUA sobre as técnicas de interrogatório utilizadas pela CIA contra os presos suspeitos de atividades terroristas ligadas à Al-Qaeada.

Este relatório assenta numa investigação efetuada pelo Senado e não foi bem visto pelos serviços secretos norte-americanos, consta de seis mil páginas e 35 mil notas de rodapé que depois foi transformado numa versão resumida de 528 páginas, tendo a Casa Branca pedido ao Senado para adiar a sua publicação devido às consequências que daí poderiam advir para alguns cidadãos norte-americanos e interesses dos EUA.

Manuel Ferreira dos Santos

Anúncios

Discussão

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Anúncios

WOOK

%d bloggers like this: