Anúncios
está a ler...
Segurança

13 de maio de 2017 – um teste

Durante o dia de hoje decorreram as cerimónias evocativas do primeiro aniversário dos atentados terroristas em Paris, na sequência dos quais morreram 130 pessoas. O presidente francês descerrou uma placa no Estádio de França, onde morreu Manuel Dias, a primeira vítima dos ataques jihadistas.

Apesar dos avanços que se têm verificado na Síria e no Iraque, isso não é sinónimo de que a questão do terrorismo fique resolvida no dia da vitória frente ao Daesh. O Ministro do Interior da Bélgica, Jam Jambon, estimou que entre 3.000 e 5.000 jihadistas que se encontram na Síria poderão regressar à Europa no futuro. Um pequeno exército do Estado Islâmico pronto a ser utilizado em solo europeu.

A Conferência Episcopal Portuguesa e o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, entregaram convites formais ao Papa Francisco, para que este visite Portugal em 2017, por ocasião da celebração do centenário das Aparições. Francisco será o quarto Papa a visitar Portugal, depois de Paulo VI em 13 de maio de 1967, João Paulo II em três momentos: (i) 12 a 15 de maio de 1982; (ii) 10 a 13 de maio de 1991; (iii) 12 e 13 de maio de 2000), e Bento XVI de 11 a 14 de maio de 2010.

Recordemos a primeira visita de João Paulo II a Portugal, em 1982, onde em quatro dias percorreu o País, de Braga a Coimbra, de Lisboa a Vila Viçosa, rodeado de uma grande emoção que arrastou multidões como nunca se havia visto. Só em Lisboa na cerimónia no Parque Eduardo VII, compareceram quase meio milhão de fiéis.

Mas o que marcaria a passagem por Portugal estava ainda por acontecer. João Paulo II veio agradecer a Nossa Senhora de Fátima a proteção concedida no atentado falhado na Praça de São Pedro, um ano antes, a 13 de Maio 1981, onde esteve às portas da morte e só “o milagre de Fátima” – como ele afirmou – o salvou. A noite da procissão das velas, em Fátima, só não foi trágica porque a reação da Polícia se revelou extremamente eficaz evitando o ataque do padre integrista espanhol Juan Fernandez Maria Khron [1].

Recentemente o autoproclamado Estado Islâmico declarou o Papa Francisco como seu “inimigo número 1“, a quem chama de “infiel” e “imoral”, por defender os homossexuais e critica-o por “procurar o diálogo com o Islão moderado”, acusando-o de se esconder por trás de “um véu enganador de boa vontade“, com o intuito de subjugar os muçulmanos através do “apaziguamento“. Lembramos que o Estado Islâmico divulgou um vídeo de propaganda, no qual revelava já a intenção de invadir Roma e assassinar o Papa.

Ainda no decorrer do presente mês de outubro, notícias vinda a público mostram uma fotografia do Presidente da República portuguesa utilizada num vídeo de propaganda do autoproclamado Estado Islâmico, onde Marcelo Rebelo de Sousa está com o rei de Marrocos, Mohammed VI, quando em junho último condecorou o monarca com a Ordem de Santiago. No vídeo, Marcelo é apelidado de “infiel” e Maomé VI de “muçulmano sem vergonha” e onde concluem “O verdadeiro islão não esquecerá estes atos.”Wook.pt - Vaticanum

José Rodrigues dos Santos, lançou, recentemente, um novo romance intitulado «Vaticanum», na Sociedade de Geografia de Lisboa, onde um comando do estado islâmico entra clandestinamente no Vaticano e o Papa desaparece. Horas depois surge na internet um vídeo em que os terroristas mostram o Sumo Pontífice em cativeiro.

O Presidente da República na sua intervenção na 25.ª Cimeira Ibero-Americana, que decorreu em Cartagena das Índias, na Colômbia[4], no passado mês de outubro, convidou os chefes de Estado e de Governo ibero-americanos a visitarem Fátima por ocasião das comemorações do centenário dos acontecimentos de 1917 na Cova da Iria.

A este propósito, Miguel Mojardinho, na sua coluna do Expresso escreveu que depois do 11 de setembro de 2001, os terroristas viraram-se para novos tipos de alvos, nomeadamente locais de culto, aeroportos, estações de metropolitano e de caminho de ferro, hotéis, grandes salas ou espaços de espetáculos e diversão, pois um ataque contra edifícios governamentais ou embaixadas passou a ser muito mais difícil do ponto de vista tático-operacional.

Assim, um ataque a alvos relativamente desprotegidos e com grandes aglomerações, oferece grandes vantagens ao nível tático e estratégico aos terroristas, por ser pouco dispendioso; exigir escassos meios operacionais; provocar danos elevados; ter enorme impacto psicológico e um grande valor em termos de propaganda política.

De onde se conclui que o próximo 13 de maio em Fátima será um teste à nossa capacidade para lidar com a ameaça terrorista, preenchendo todos os requisitos para se tornar um verdadeiro quebra-cabeças para as forças e serviços de segurança envolvidos.

Manuel Torres Conde

_________________

[1] O padre integrista espanhol, Juan Fernandez Maria Khron, de 32 anos, vindo de Paris, tinha o objetivo claro de matar João Paulo II. Com trajes de sacerdote, Khron rondou a comitiva papal empunhado uma baioneta com mais de 30 centímetros. Antes de ser detido, proferiu algumas palavras tais como “Fim ao comunismo” e “Abaixo o Papa e o Vaticano II”.

Anúncios

Discussão

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Anúncios

WOOK

%d bloggers like this: