Anúncios
está a ler...
Segurança, Justiça

Meios de Obtenção de Prova no Âmbito das Medidas Cautelares e de Polícia

I

Em processo penal, os meios de obtenção de prova englobam os exames, as revistas e buscas, as apreensões e as escutas telefónicas, sendo instrumentos de que se servem as autoridades judiciárias, para investigar e recolher meios de prova; não são instrumentos de demonstração do thema probandi, são instrumentos para recolher no processo esses meios[1].

Por seu turno, as medidas cautelares e de polícia são providências que os órgãos de polícia criminal (OPC) têm de tomar para assegurar os meios de prova sempre que tiverem notícia de um crime[2], incidindo sobre a comunicação da notícia do crime, as providências cautelares quanto aos meios de prova, a identificação de suspeito e pedido de informações, as revistas e buscas, a apreensão de correspondência e a localização celular.

II

Wook.pt - Meios de Obtenção de Prova no Âmbito das Medidas Cautelares e de PolíciaAcerca desta temática, Paulo Soares, lançou recentemente a 2:ª edição da sua obra: Meios de Obtenção de Prova no Âmbito das Medidas Cautelares e de Polícia.

Refere-se na sua apresentação que se impõe, “num Estado de Direito Democrático, como é o nosso, que toda a actividade policial, seja de índole preventiva ou repressiva, se encontre subordinada à Constituição, à Lei e ao Direito. Só por intermédio dessa subordinação é possível obter uma medida justa de necessária compressão dos direitos individuais em prol da protecção da ordem social. É este desejável ponto de equilíbrio entre valores essenciais conflituantes que o autor pretende alcançar ao longo do seu estudo – tarefa assumidamente mais difícil quando, por vezes, medidas policiais de natureza preventiva e repressiva confluem -, o qual possibilitará, aos profissionais de polícia, em cada actuação, conferir prestígio e credibilidade à instituição que representam e, consequentemente, legitimar a sua autoridade no panorama democrático contemporâneo”.

III

Uma obra de extrema importância, sobretudo porque se atravessa uma fase em que algumas atuações das forças e serviços de segurança têm sido alvo de acesa polémica que resulta, muitas vezes, da compressão dos direitos individuais em prol da proteção da ordem social.

Pedro Murta Castro

__________________________

[1] Artigo 171.º e seguintes do Código de Processo Penal.

[2] Artigo 248.º e seguintes do CPP.

Anúncios

Discussão

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Anúncios

WOOK

%d bloggers like this: