está a ler...
Justiça, Segurança

Delinquente idoso

Resultado de imagem para prisões portuguesasDe acordo com o último Relatório de Atividades e Autoavaliação da Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, existem 10.616 reclusos, e desses 889 (7,8%) têm uma idade igual ou superior a 60 anos. Estes números podem ter sofrido alguma oscilação, dado que o documento é relativo ao ano 2020.

A propósito dos  delinquentes idosos, o Tribunal da Relação de Lisboa, num Acórdão de 13/09/2022, decidiu o seguinte:

–Em relação a delinquente idoso o nosso sistema penal não prevê qualquer regime específico, ao contrário do consagrado em relação aos jovens delinquentes;

–O decurso do tempo é sentido de forma diversa ao longo da vida, um ano em prisão preventiva não é o mesmo para quem aos 20 anos tem uma longa esperança de vida e para aquele que já tendo atingido o estatuto de octogenário é constantemente relembrado pelas debilidades físicas e psicológicas que o fim pode estar próximo;

–Sendo o arguido cidadão octogenário, fisicamente debilitado por dificuldades de locomoção e carente de apoio na higiene diária, com um percurso de vida marcado pela inserção social e profissional, após experiência de reclusão em prisão preventiva pelo período de quase um ano, por crimes de violência doméstica e violação de proibições e interdições, devem reconhecer-se como mitigadas as exigências de prevenção especial e suficiente a simples censura do facto e a ameaça da pena de prisão.

Finalmente, não poderia deixar de frisar no  citado relatório da DGRSP se menciona que “as respostas institucionais/sociais são praticamente inexistentes, para a população prisional idosa, portadores de doenças crónicas ou incapacitantes, aclarando-se a necessidade de existirem instituições de saúde destinadas ao seguimento após cumprimento de medidas de segurança, pois as famílias não se disponibilizam e principalmente, não têm condições de assegurar o devido acompanhamento após o cumprimento da medida. Daqui resulta a necessidade de estabelecer protocolos ao nível do topo decisório para aceder a equipamentos residenciais para idosos ou unidades de cuidados de saúde adequados aos grupos de maior vulnerabilidade”.

Manuel Ferreira dos Santos

Discussão

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

WOOK

%d bloggers like this: